Capim Dourado do Jalapão: a joia que brota entre os riachos no leste do Tocantins

Numa região árida, no leste do Tocantins, entre rios e riachos, brotam flores com finas hastes douradas que reluzem ao sol: é o Capim Dourado. Ele só nasce ali nas veredas do Jalapão e, a partir das mãos talentosas de artesãos da região, dão origem a joias e acessórios que fazem sucesso em todo o mundo.

As técnicas de manuseio do Capim Dourado, no Jalapão, foram aprendidas no inicio dos anos 1930, como herança das comunidades quilombolas que ali viviam. Mas o produto só foi ganhar popularidade e reconhecimento em todo território nacional no fim dos anos noventa.

O manejo do Capim Dourado para produção de artesanato tem mobilizado de forma crescente as populações tradicionais da região. Desde o ano 2000, diversas associações se organizaram, congregando cerca de 800 pessoas que têm uma importante fonte de renda por meio da produção e venda de bolsas, caixas, mandalas, suplás e bijuterias fabricadas com as hastes do Capim Dourado costuradas com “seda” de Buriti, feita a partir da fibra das folhas dessa palmeira típica da região.

Sustentabilidade

As associações têm aprimorado as técnicas produtivas e buscado mecanismos que atestem a origem e a qualidade das peças.

As comunidades, preocupadas com a sustentabilidade da atividade, buscaram apoio de organizações, como o IBAMA, para a realização de pesquisas que verificassem o impacto do extrativismo do capim. Essa parceria produziu informações relevantes que foram agregadas na Portaria 362/2007, que determina o período e a maneira que deve ser feito o manejo do Capim Dourado e do buriti para que a atividade seja sustentável.

Além disso, ao longo dos anos, as associações têm aprimorado as técnicas produtivas e buscado mecanismos que atestem a origem e a qualidade das peças que produzem, visando à maior inserção e valorização de seus produtos no mercado.  

Manejo do capim

A retirada do Capim Dourado é feita nos campos úmidos, caracterizado por uma vegetação rasteira sem árvores ou arbustos, próximos aos cursos de água. Em geral, o capim é uma planta com tempo de vida entre 5 e 10 anos. No período de abril a maio, as hastes começam a crescer, mas, é só em setembro, com as hastes já secas e as sementes maduras, que se realiza a colheita.

Assim como em toda vegetação do cerrado, o Capim Dourado precisa de fogo para germinar. É o fogo que quebra a dormência da semente e faz com que ela se prolifere pelo campo.

Artesanato

Pin em mundo real
Joias produzidas no Jalapão. Foto: Divulgação

A costura do capim é um processo que exige muito cuidado, pois a peça de capim pode quebrar e inutilizar todo aquele filete. Os materiais utilizados para confecção das peças de artesanato são extremamente simples: Capim Dourado, a seda do buriti, e uma agulha.

Os artesãos da região definem dois tipos de capim: o “douradão”, com hastes mais grossas para peças grandes; e o “douradinho”, com filetes mais flexíveis e delicados, para peças pequenas.

A maioria desses artesãos trabalha em casa, e estes trabalhos manuais são uma forma de incentivar a ocupação e possibilitar maiores oportunidades de renda para os moradores locais. Além disso, esses produtores vêm aperfeiçoando suas técnicas no decorrer dos anos, com apoio de diversas entidades, em cursos de produção e design.

Indicação de Procedência

A Indicação de Procedência (IP) da Região do Jalapão do Estado de Tocantins existe desde de 2011. Além de garantir o uso do nome do Jalapão às comunidades locais, qualifica a produção, agrega valor ao produto final e incentiva ainda mais o turismo aliado ao artesanato dessa belíssima localidade.

Fonte:  A lavoura
Luciane Santana
Luciane Santana
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Apoio ao Turista

Como Chegar
Principais Atrativos

Belezas naturais

Dunas
Ver Galeria
Serras
Ver Galeria
Cachoeiras
Ver Galeria
Lagos
Ver Galeria
Cidades
Ver Galeria
Previous
Next

Curiosidades

Escolha o Idioma »